Foto: Reprodução.
/////

Aos 9 anos, Títi já sofreu racismo em outras duas ocasiões; relembre os casos

Começar

No último sábado, 30, a atriz Giovanna Ewbank foi flagrada defendendo os filhos Títi, de nove anos, e Bless, de sete anos, vítimas de racismo em um restaurante em Portugal.

Em entrevista ao Fantástico no último domingo, 31, a atriz lamentou que os filhos, tão novos, já tenham que passar por situações racistas.

E, infelizmente, essa não é a primeira vez que Títi, filha mais velha do casal, sofre com ataques racistas. Atualmente, Giovanna e o marido, o ator Bruno Gagliasso, têm duas ações por racismo em aberto na Justiça brasileira.

O primeiro ataque aconteceu em novembro de 2016. Na época, Bruno foi à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio, para denunciar um comentário feito em uma publicação de Giovanna Ewbank no Instagram. “Você e seu marido até que combina, mas a criança que vocês adotaram não combinou muito, porque ela é pretinha e lugar de preto é na África” dizia a mensagem. O comentário foi apagado em seguida e o perfil da pessoa, excluído.

O segundo ataque sofrido por Títi veio um ano depois, em novembro de 2017, quando Dayane Alcantara Couto de Andrade, conhecida como Day McCarthy, gravou um vídeo em que dirigiu diversas ofensas racistas à criança. “A menina é preta, tem um cabelo horrível, de bico de palha, e um nariz de preto, horrível, e o povo fala que a menina é linda? Aí essas mesmas pessoas vêm ao meu Instagram me criticar pela minha aparência?”, disse Day McCarthy nas imagens.

Day McCarthy ofendeu Títi em 2017. Foto: Reprodução.

Na ocasião, a atriz reagiu ao ataque e afirmou que todas as medidas seriam tomadas. “Bom domingo com amor e a pureza de uma criança a todos que têm nos mandado mensagens sobre o acontecido. Racismo é crime, e já estamos tomando as devidas providências perante a lei”, disse Giovanna na época.

As providências foram tomadas e o processo segue em andamento.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD