//

Caso Arlene Giugni: acusado afirma que confessou crime para proteger irmã; entenda

Começar

A investigação do assassinato de Arlene Giugni da Silva, que aconteceu no dia 18 de janeiro deste ano, no bairro da Batista Campos, em Belém, chegou a novas conclusões. Em depoimento divulgado pelo canal RBA TV, nesta sexta-feira, 15, o advogado, Leonardo Giugni, acusado de ter cometido feminicídio contra a própria mãe, afirmou à Polícia Civil que confessou o crime para proteger a irmã.

Juliana Giugni e Leonardo Giugni. Foto: Reprodução

Segundo outras informações divulgadas pelo portal O Liberal, o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) comprovou que a irmã de Leonardo, a também advogada Juliana Giugni, estava com a arma do crime. De acordo com o portal, o fato teria sido comprovado pelo registro das câmeras de segurança do condomínio, além das perícias feitas no corpo da vítima. No entanto, o MPPA afirma que está investigando novas provas da autoria e materialidade do fato.

Segundo o MPPA, a mãe foi vítima de feminicídio triplamente qualificado por motivo fútil e foi apontado em junho desse ano que a autora do crime foi a advogada Juliana Giugni, irmã do acusado.

Depoimento de Leonardo Giugni :

Segundo o depoimento de Leonardo Giugni, primeiro acusado como autor do crime, o advogado afirmou que tenha conseguiu dormir entre 23:15h e 02:00h, mas que não sabendo exatamente o real horário. Ele diz que acordou assustado com o barulho de uma porta batendo forte, que soube tratar-se da porta do quarto de sua mãe, pois estava meio emperrada e só fechava se batesse com força e quando assim era feito, o barulho era grande, então acreditou que fosse sua mãe fechando a porta de seu quarto para dormir ou algo do tipo; Que logo em seguida, o depoente ouviu gritos de sua mãe dizendo: “SAI JULIANA, SAI JULIANA, SAI JULIANA!” e ouvia também o barulho da cama de sua mãe, balançando, como se tivesse sendo afastada de lugar, ou tivesse balançando e este fato se deu aproximadamente por um período de 05 a 10 minutos; Que o cachorro, que estava em seu quarto, começou a latir, ouvindo aqueles barulhos e tudo aquilo deixou o depoente aflito e angustiado, como ele sempre ficava, perante essa situação.

Em outro trecho do depoimento divulgado, o advogado afirma que questionou a irmã dizendo! “POR QUE TU FIZESTE ISSO JULIANA? POR QUE TU FIZESTE ISSO COM A MAMÃE???” Que Juliana apenas falava “SAI DAQUI LEO! SAI DAQUI” que então, deu-se início a uma luta corporal, onde Juliana passou a segurar forte as mãos/braços do depoente a, neste momento, o declarante lesionou com um corte, O pescoço de sua irmã, porém, apesar de confessar que apontava a faca para ela, ameaçando-a, exigindo explicações sobre o motivo de Juliana  ter matado a mãe deles, não tinha a intenção de lesioná-la, muito menos de matar sua irmã Juliana.

O depoimento foi obtido pelo canal RBA TV e divulgado nesta sexta-feira, 15.

Relembre o caso

Leonardo Felipe Giugni Bahia, foi preso no dia 18 de janeiro de 2021 após ser apontado como assassino da própria mãe, na época, a investigação levantou a hipótese de que o acusado teria passado por um surto psicótico. Depois de meses de investigação, a Polícia Civil chegou a conclusão de que a principal autora do assassinato teria sido a irmã de Leonardo, Juliana Giugni, o que levou o principal acusado a ser considerado como Coautor.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD