///

Condenado por estupro, Robinho tem pedido de extradição e mandado de prisão internacional

3 minutos lidos

O Ministério Público de Milão, na Itália, enviou ao Ministério da Justiça um pedido de extradição e um mandado de prisão internacional contra o jogador Robinho, que foi condenado por violência sexual coletiva contra uma jovem. O crime aconteceu em janeiro de 2013 em uma boate de Milão. As informações são do jornal italiano ‘La Repubblica’.

Anúncios

Segundo a publicação, esta medida pode permitir que o jogador seja preso caso decida deixar o Brasil. Vale lembrar que a constituição brasileira não permite a extradição de seus cidadãos.

Em janeiro de 2022, Robinho foi julgado e condenado em última instância na Corte de Cassação de Roma, ao lado de seu amigo e também acusado de envolvimento no caso Ricardo Falco.

Condenado em 2020, o Supremo Tribunal da Itália confirmou a decisão do Tribunal de Justiça de Milão. Além dos noves anos de reclusão, Robinho também terá de pagar uma indenização de 60 mil euros, cerca de R$ 372 mil.

O jogador sempre negou as acusações de violência sexual, apesar de admitir que se envolveu com a vítima. Robinho chegou a ser contratado pelo Santos em 2020, mas devido à forte repercussão do caso, e após o vazamento de um áudio no qual ele faz pouco caso do crime, seu contrato com o clube foi suspenso.

Anúncios

RELEMBRE O CRIME:

Em janeiro de 2013, Robinho, Falco e outros quatro brasileiros que não foram identificados, foram denunciados por violência sexual contra uma mulher albanesa. Ela tinha 23 anos na época do crime.

O grupo teria oferecido bebida à jovem até “deixá-la inconsciente e incapaz de se opor”. Depois, Robinho e seus amigos a levaram para um camarim e, se aproveitando de seu estado, cometeram o crime de estupro.

Os outros quatro brasileiros estão com o caso temporariamente suspenso, entretanto a acusação pode sim ser reaberta por causa da condenação de Robinho e Falco.

Anúncios

Um áudio do ex-jogador do Milan, gravado com autorização da justiça, foi anexado ao processo. Nele, o condenado faz pouco caso do crime.

Segundo o processo ele diz: “estou rindo porque não estou nem aí. A mulher estava completamente bêbada não sabe nem o que aconteceu. Em outra conversa, gravada em 2014 Robinho admite ter tentado “transar” com a mulher. O atacante ainda diz que os amigos “pegaram ela com força” Para a justiça Italiana as conversas foram auto incriminatórias. Robinho e Falco foram condenados em 2017.

Anúncios

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Anúncios