//

Laboratório da UFPA atende pacientes com HTLV, vírus da família do HIV

O Labvir da UFPA é um dos grupos brasileiros com destaque nas pesquisas sobre o vírus

Começar

Pessoas que convivem com o HTLV podem buscar atendimento no Laboratório de Virologia (Labvir) do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal do Pará. A ação, que teve início em 2021 com a consolidação de dois projetos de pesquisa financiados pelo Ministério da Saúde, busca incentivar o diagnóstico, o acolhimento e o acompanhamento das pessoas diagnosticadas com HTLV por profissionais da área da saúde.

Esse vírus infecta principalmente as células do sistema imunológico (LTCD4+), e possui a capacidade de imortalizá-las, fazendo assim com que essas percam sua função de defender nosso organismo, no entanto, o papel desse vírus na oncogênese ainda está para ser estabelecido.

TRANSMISSÃO

O vírus de nome científico T-linfotrópico humano (HTLV) pertence à família Retroviridae, sendo da mesma família do vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e pode ser transmitido por amamentação, por via transplacentária ou pelo canal do parto, por sangue (transfusões com sangue contaminado), compartilhamento de agulhas, seringas, objetos cortantes ou por relação sexual sem o uso de proteção. O agente etiológico é relacionado com diferentes doenças, como leucemia, doença neurológica inflamatória, doença pulmonar, dermatite, artropatia e outras.

DIAGNÓSTICO

Não há vacina contra esse vírus ou tratamento que elimine sua infecção — por isso, o diagnóstico precoce é de extrema importância como medida de prevenção e de controle da sua transmissão, além de se poder monitorar o surgimento de sinais e sintomas relacionados com a infecção. 

Em casos de doenças neurológicas, o diagnóstico precoce permite realizar intervenções clínico-terapêuticas que retardam os sintomas decorrentes da neurodegeneração, responsáveis por causar dificuldades de locomoção e outros problemas.

REFERÊNCIA NO PAÍS

De acordo com o coordenador do Labvir, professor Antonio Vallinoto, o laboratório da UFPA é um dos grupos brasileiros com destaque nas pesquisas sobre o vírus. “No Brasil são poucos os grupos de pesquisa que realizam diagnóstico da infecção pelo HTLV. O Laboratório de Virologia da UFPA vem trabalhando nesta área desde a década de 1980 e, hoje, constitui um dos grupos brasileiros com destaque nas pesquisas sobre o vírus”, afirmou.  

O serviço especializado do Labvir se estende ao estado do Pará com possibilidade de se expandir a outros estados. “Neste momento, o LabVir lança mão de sua estrutura e de expertise de pesquisa para oferecer um serviço especializado e diferenciado à população de Belém e do estado do Pará, com possibilidade de expansão do serviço para os estados vizinhos do Tocantins e do Maranhão, que integram a rede de colaboradores”, informou Vallinoto.

“O Brasil é um dos países com maior prevalência de infecção pelos HTLV-1/2. Estima-se que um milhão de pessoas sejam portadoras do vírus no Brasil, e o Pará é um dos três estados brasileiros com alta frequência de casos de infecção, juntamente com Maranhão e Bahia. Sendo assim, o diagnóstico precoce é fundamental para evitar a disseminação do vírus na medida em que o indivíduo diagnosticado recebe aconselhamento sobre as formas de transmissão do vírus”, complementa Vallinoto.

ATENDIMENTO

A pessoa interessada deve se encaminhar ao Laboratório de Virologia do ICB, localizado próximo do Portão 1, no campus Básico, bairro do Guamá. É necessário apresentar o encaminhamento médico que solicita o exame de pesquisa de infecção pelo HTLV. O atendimento no Labvir ocorre às sextas-feiras pela manhã, das 8h às 12h. 

O diagnóstico é realizado por meio de dois testes laboratoriais a partir de uma amostra de sangue coletada no laboratório. O primeiro teste permite detectar a presença de anticorpos contra o vírus, chamado de teste de triagem. No caso de positividade, a amostra de sangue do paciente segue para um segundo teste, que detecta a presença do material genético do vírus, chamado de teste confirmatório.

Uma vez diagnosticada a infecção, o paciente será encaminhado para o atendimento com uma enfermeira docente da UFPA, realizado conforme agendamento, a fim de realizar o acolhimento e o aconselhamento do paciente, e averiguar possíveis sinais e sintomas clínicos das doenças associadas ao vírus. Em caso de algum sintoma de doença relacionada com o HTLV ser observado, o paciente é encaminhado para um dos médicos que colaboram com o projeto e que atendem na Unidade Básica de Saúde do Jurunas, localizado na rua Fernando Guilhon, bairro da Cremação.

SERVIÇO

Serviço de Atendimento à Pessoa Vivendo com HTLV 

Horário: das 8h às 12h, às sextas-feiras.

Local: Laboratório de Virologia, campus Básico, bairro do Guamá.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD