///

PF apreende dois suspeitos pelo desaparecimento de indigenista e jornalista na Amazônia

Começar

Na noite da última segunda-feira, 6, a Polícia Federal apreendeu dois suspeitos pelo desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira, servidor licenciado da Fundação Nacional do Índio (Funai), e do jornalista britânico Dom Phillips, correspondente do The Guardian.

Os dois, que desapareceram no último domingo, 5, no Vale do Javari, no Amazonas, estavam indo para uma área chamada Lago do Jaburu para o jornalista entrevistar indígenas da região.

Segundo a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), os homens apreendidos são pescadores e atendem pelos apelidos de “Churrasco” e “Jâneo”. Ambos foram levados para a cidade de Atalaia do Norte e estão em poder da Polícia Civil para prestar esclarecimentos.

Ainda de acordo com a Univaja, Bruno e Phillips foram vistos pela última vez quando chegaram à comunidade ribeirinha São Rafael por volta das 6h do domingo. Lá, conversaram com a esposa do líder comunitário apelidado de Churrasco. Após isso, partiram para Atalaia do Norte, viagem que dura aproximadamente duas horas, mas não chegaram ao destino.

AMEAÇAS

Bruno Pereira era alvo constante de ameaças pelo trabalho que vinha fazendo junto aos indígenas contra invasores na região. As ameaças vinham, em maior parte, de pescadores, garimpeiros e madeireiros. O Vale do Javari, local em que a dupla desapareceu, é a região com a maior concentração de povos isolados do mundo.

O Indigenista, Bruno Araújo, era alvo constante de ameaças vindas de pescadores, garimpeiros e madeireiros por seu trabalho com os indígenas. Foto: reprodução internet

Beto Marubo, membro da coordenação da Univaja, afirmou que a equipe já havia recebido ameaças em campo na última semana. “Enfatizamos que, conforme relatos dos colaboradores da Univaja, essa semana a equipe recebeu ameaças em campo, além de outras que já vinham sendo feitas à equipe técnica da Univaja, além de outros relatos já oficializados para a Polícia Federal e ao Ministério Público Federal em Tabatinga”, informou.

FAMÍLIA PEDE POR RESPOSTAS

A família do jornalista britânico Dom Phillips fez um apelo às autoridades brasileiras para que as buscas sejam rápidas.

O jornalista britânico, Dom Phillips, é colaborador do jornal “The Guardian”. Casado com uma brasileira, ele vive mora no Brasil. Foto: reprodução internet

Nas redes sociais, o cunhado de Phillips, Paul Sherwood, reforçou o carinho do jornalista pelo Brasil e pela Amazônia. “Dom ama o Brasil e dedicou sua carreira à cobertura da floresta amazônica”, escreveu ele. 

Paul terminou o apelo reforçando o pedido de rapidez nas buscas. “Entendemos que o tempo é essencial, então, por favor, encontre nosso Dom o mais rápido possível. Por favor, ajude a levar este pedido às autoridades brasileiras”, pediu.

Sian Phillips, irmã de Dom, também falou sobre o caso em vídeo postado nas redes sociais. “Meu irmão vive no Brasil com a sua mulher brasileira, amo o país e se importa profundamente com a Amazônia e os que vivem na região. Nós sabíamos que era um lugar perigoso, mas Dom acreditava que era possível salvar a natureza e os povos indígenas”, ressaltou.

A irmã do jornalista falou, ainda, sobre a preocupação da família com a dupla desaparecida. “Aqui no Reino Unido, eu e meu outro irmão estamos extremamente preocupados. Nós amamos nosso irmão e queremos ele e seu guia brasileiro, Bruno Pereira, seja encontrados. Cada minuto importa”, concluiu.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD